Intimidade com Deus: pessoa orando

Como ter Intimidade com Deus: aprenda a ter um relacionamento profundo com o Pai a partir do exemplo de Jesus

Um desejo de todo Cristão e de toda pessoa que crê que o Criador dos céus e da terra é um Deus relacional, é ter intimidade com Ele.

Gostamos de dizer que Deus é nosso Pai, por isso, precisamos buscar um relacionamento íntimo e sincero com ele.

Neste post vamos explicar o que é ter intimidade com Deus, como ter um relacionamento próximo com o Senhor e o que podemos aprender com o relacionamento entre Jesus Cristo e Deus Pai.

O que é intimidade com Deus

A palavra intimidade não possui uma definição clara, podendo variar de relacionamento para relacionamento. Muitas vezes ela se refere a um relacionamento tão próximo que chega a ter até conotação sexual. 

De forma geral, a palavra se refere a relacionamentos com um alto nível de transparência e liberdade, onde as pessoas se conhecem profundamente, gastam tempo de qualidade juntos e quase não existem segredos, dependendo da profundidade.

Não existe jeito melhor de compreender a intimidade com Deus do que observando o relacionamento mais íntimo da Bíblia: Jesus e Deus Pai.

O evangelho de João inicia com um dos versículos mais belos e que mais demonstram a intimidade e o relacionamento de Cristo com Deus. 

O discípulo amado fala que no princípio de tudo o Verbo estava em Deus, subsistia no Senhor e era o próprio Deus.

O apóstolo continua nos versículos seguintes relatando que o Verbo veio ao mundo, o Verbo habitou em nosso meio e, por meio dele, podemos ver a glória do Deus Pai (João 1: 1–14).

Jesus Cristo deixou o Pai, abriu mão de toda a sua glória celestial, esvaziou-se de tal forma que se tornou servo, fez-se em semelhança de homem, foi reconhecido em figura humana e mostrou sua obediência a Deus. Ele foi morto e pendurado em uma cruz, fazendo-se maldito perante a Deus como a Torá dizia (Gênesis 21:23), porém mostrando-se obediente ao Pai. 

Obediente de tal forma que Deus o exaltou e lhe deu “o nome que está acima de todo o nome” (Filipenses 2: 5-11).

Cristo conseguiu cumprir tudo aquilo que Deus havia traçado para sua vida. Primeiro, porque ele sabia quem era/é — ele tinha convicção da sua missão e da sua identidade. E, principalmente, porque ele mantinha uma intimidade com Deus

Mesmo se fazendo homem, Cristo não deixou de buscar o Senhor, ele não deixou de relacionar com o Pai. 

Por isso o relacionamento entre Jesus e o Pai é o maior exemplo de como devemos nos relacionar com Deus. 

Pois Cristo, mesmo sendo o Deus encarnado, não deixava de orar e retirar-se para ter um tempo a sós com o Pai, como indicam diversos relatos bíblicos.

Oração: como ter intimidade com Deus

O que é orar? Orar é dirigir-se a Deus, é proferir humildemente palavras ao Senhor, fazer confissões ao Pai, prestar adoração e, claro, suplicar ao Pai por nossos anseios e necessidades.

Nas cartas de Paulo, por exemplo, vemos diversas vezes o apóstolo “rogando” a Deus, clamando ao Senhor por algo. 

É nossa maneira de conversar com o Senhor, nos aproximando Dele com o coração quebrantado para demonstrar gratidão e engrandecê-Lo clamando por Sua presença e direção. É a “linha direta” com o Céu!

A oração é um momento seu com Deus, é um momento de intimidade. 

Afinal, o próprio Cristo nos instruiu no Sermão do Monte (Mateus 6: 5-8), dizendo que devemos orar “em secreto”.

Ainda que as orações públicas, com os irmãos, e fazer constantes orações ao longo do dia sejam importantes, o relacionamento profundo com Deus só pode ser feito a sós.

Orar intimamente é estar a sós com Deus, é apresentar-se no secreto, no seu quarto, de portas fechadas, sem interferência externa e sem querer mostrar-se para os outros, achegar-se diante do Pai e conversar com Ele — oração é relacionamento.

Conhecer e ser conhecido: intimidade com a Bíblia

É fundamental destacar que é impossível ter intimidade com uma pessoa que você não deseja conhecer.

Deus escolheu se revelar por meio de um livro, e é por meio da Bíblia que podemos conhecer o caráter do Pai, quem Ele é e quem nós somos nele! 

É por meio da Bíblia que aprendemos como nos achegar a Ele, como agradá-lo e como dirigir as nossas orações ao Senhor do Universo. Um Deus tão grande que escolhe se relacionar com criaturas tão pequenas.

Portanto, lembre-se que um relacionamento de intimidade implica em conhecer e ser conhecido. Gaste tempo na leitura da Palavra e conheça cada vez melhor o Deus a quem você dirige suas orações.

É impossível separar as coisas. Você pode conhecer toda a Bíblia sem ter nenhuma intimidade com Deus, ou seja a oração é indispensável.

Porém, você pode orar sem nunca ler a Palavra e de dirigir a um Deus que você não conhece, que é fruto da sua imaginação e não da própria revelação que Ele fez de si mesmo.

Não é a toa que os Reformadores deram tanta ênfase à suficiência das Escrituras em um dos 5 Solas da Reforma.

A chave é conhecer — por meio da Palavra — e ser conhecido — rasgando nosso coração em intimidade com Ele.

E por meio da Bíblia também que aprendemos com o relacionamento mais íntimo que podemos conhecer:

Relacionamento Íntimo com Deus: o exemplo de Cristo com o Pai

Se olharmos com cautela para a Palavra, facilmente notaremos que Jesus tinha uma vida de oração. 

Em todos os evangelhos podemos encontrar relatos de Cristo orando a Deus, ensinando e estimulando seus fiéis seguidores a orar e, principalmente, liderando pelo exemplo.

Cristo, diversas vezes ao estar rodeado por multidões se despedia e retirava-se para orar e ter um tempo a sós com Deus (Mateus 14: 23). 

Algumas vezes logo após realizar curas e milagres e ver as notícias correrem e a multidão se achegando, Jesus se retirava para lugares solitários para ficar somente com o Pai e orar (Lucas 5: 16). 

O Filho Unigênito buscava sempre estar em intimidade com Deus, orava não somente durante o dia, mas também nas madrugadas (Marcos 1: 35).

Cristo não tomava decisões antes de conversar com o Pai. A Palavra diz que antes de escolher aqueles que seriam seus doze apóstolos, Jesus passou a noite orando a Deus (Lucas 6: 12). 

Ao ser batizado por João Batista, Jesus orou, e todos puderam presenciar os céus se abrirem e Deus falar audivelmente (Lucas 3: 21-22), confirmando tudo aquilo que João Batista já havia proferido anteriormente, que Cristo era o Cordeiro de Deus o Filho de Deus (João 1: 29-34). 

O Filho de Deus não somente tinha momentos a sós com o Pai e liderava pelo exemplo, mas com todo amor e cuidado, ensinou seus discípulos a orar (Lucas 11: 1-13).

No Getsêmani, pouco antes de ser entregue e preso, Jesus instrui novamente seus discípulos a orar para não caírem em tentação (Lucas 22: 39-40). 

Sabendo da dor que viria a sofrer e da ira de Deus que havia de experimentar, agonizando, o Cordeiro de Deus, orava ainda mais, orava incessantemente (Lucas 22: 41-44). 

Mesmo sabendo que Deus iria moê-lo e fazê-lo enfermar, que ele seria oprimido e humilhado e sobre ele cairia a iniquidade de todos nós (Isaías 53), Cristo perseverava em oração, mantinha sua intimidade com o Pai.

Em sua oração sacerdotal (João 17), uma das passagens que mais demonstram o amor de Cristo pelos seus discípulos e por todos aqueles que um dia viriam a conhecê-lo, Jesus roga, clama a Deus para que Ele nos guarde e seja um conosco.

Nos seus últimos segundos nesse mundo, Jesus orou ao Pai. Em seu último suspiro, clamou em alta voz: “Pai, nas tuas mãos entrego meu espírito!” (Lucas 23: 46) e expiou, consumou aquilo que havia de fazer segundo a vontade de Deus, levou sobre si todos os nossos pecados!

Vida de oração

E você? Já orou hoje? Já tirou um tempo a sós com Deus? 

Precisamos nos espelhar na igreja primitiva relatada em Atos, no capítulo dois.

Ao receber a mensagem pregada pelos apóstolos, as pessoas tiveram conhecimento de quem era (é) Cristo e se arrependeram de seus pecados, perseverando em oração (Atos 2: 42). 

Precisamos persistir em oração, é por meio dela que nossa fé é fortalecida e medimos a nossa intimidade com Deus.

Você ama alguém que você não conhece? Você ama uma pessoa que não conversa com você? Uma das formas de demonstrar o nosso amor a Deus é manter uma vida de oração. 

O Amor amou, então ame Ele de volta. Persevere em oração!

O profeta Jeremias diz: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscares de todo o vosso coração.” (Jr 29:13).

Se achegue ao Pai, rasgue seu coração diante de Deus e persevere em oração. Quanto mais você amá-Lo, mais provará o amor dele de volta.

Gostou do texto? Compartilhe com a gente como são os seus momentos de oração e as experiências que você já teve em intimidade com o Pai.

*Cristiano Mousinho é líder de Jovens no ministério Be Church da igreja Vida Por Vidas.

Gostou do texto ? Compartilhe com seus amigos e familiares!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Um comentário em “Como ter Intimidade com Deus: aprenda a ter um relacionamento profundo com o Pai a partir do exemplo de Jesus

  1. Cada dia mais apaixonado por esse blog top!!
    Ótimo texto!
    Intimidade com Deus é a base de um relacionamento saudável.

Gostou do post? Compartilhe com a gente a sua opinião!

LUZEIRO-logo

Rua Jornalista Djalma Andrade, 1350
Belvedere, Belo Horizonte – MG
30320-540
www.crerepensar.com.br

Rua Jornalista Djalma Andrade, 1350
Belvedere, Belo Horizonte – MG
30320-540
www.cczs.org.br